domingo, 9 de novembro de 2014

A menina e um passarinho. - BC #A Semana 7

Vou começar a falar do filme A Menina que Roubava Livros. O assisti três vezes nesta semana. Li o livro há anos atrás e o amei demais, muito. Claro que o livro é mais detalhista, sempre falta algo nos filmes inspirados em livros, mas não achei que o filme deixou muito a desejar. Me apaixonei pelo filme, me emocionei e mais uma vez quis adotar Liesel Meminger. Recomendo.




Sábado passado caiu aqui no meu quintal um filhote de sanhaço, o ninho em que ele nasceu está no meu telhado.
Marido quis colocá-lo de volta no ninho, mas eu pedi que ele não fizesse isso, pois se ele já tinha caído uma vez, ia cair sempre, o ninho fica numa altura de mais ou menos seis metros.



Olha só que amor:




Fiquei perdidinha com este passarinho. Como alimentá-lo? Como fazer para não cortar o vínculo dele com a mãe, afinal de contas ele primeiro aprender a voar, depois que aprende a se alimentar sozinho.

Marido contou que a mãe costuma alimentá-lo mesmo ele estando em gaiolas. Então, peguei a minha gaiola, sem janelas e sem porta, para abrigá-lo, pus porta e janelas de papelão, com medo de um novo tombo, mas me senti tãããão mal em ver o passarinho na gaiola que o tirei em meia hora. Me faz mal ver pássaros em gaiola. Sei lá, eles tem asas, né?




Coloquei o ninho que compramos dentro da cestinha de pregador , colocamos no gancho do muro e resolvemos colocar uma escada embaixo para dar suporte,  coloquei um pano em volta da cesta, pois estava ventando muuuuuito. A mãe vinha toda hora, mas não o alimentava, o que me obrigou a fazê-lo.



Compramos um alimento especial para pássaros, e uma seringa para alimentação. Eu o alimentava de hora em hora, dava 2 ml da papinha.



Aqui um vídeo dele se alimentando:




Bom, aqui nas redondezas tem uns gatos fofos, e vi um desses gatos andando no muro e olhando para o ninho improvisado, resolvi não arriscar, então trouxe o sanhaço para dentro do jardim de inverno. E mãe que é mãe vai atrás do piado do filho.



E assim foi durante cinco dias, eu o alimentava das 6:00 h da manhã até às 19:00 h de hora em hora, o levava para pegar sol e para chamar a atenção da mãe dele.



Momento de muito amô:




Momento selfie:




E, quando menos eu esperava ele se foi, foi atender ao chamado da mãe. Juro que eu achava que ele não estava preparado, mas quem não estava era eu. Tanto que nem levei a máquina para registrar o momento.
O voo mais alto dele não passava de 40 cm de altura, isso com muuuuuito esforço, e o rasante também não passava de 40.
Primeiro ele foi para o telhado, depois voou para o pé de acerola da vizinha, e marido ficou durante muito tempo vendo se a mãe iria o alimentar, e para a alegria geral ela o alimentou e o faz até hoje.




No dia em  que "chegou" e no dia em que foi embora: 

Durante a semana me encontrei com azzzamigash pra um bom papo e um abraço apertado.
Isso faz bem demais. Também recomendo.

E para homenagear meu visitante, pintei as unhas com o esmalte azul da Beauty Color Cláudia Leitte Pássaros:




Vem participar desta blogagem aqui no blog da Fernanda Reali.